domingo, 25 de outubro de 2009

ILUSÃO TREDA


Hoje o céu vestiu-se de luto e de tristeza
E o mar resplandeceu o fúnebre mistério
Da fúlgida escuridão do atro cemitério!
- Clausurado de alienação e incerteza.

Tu deixaste este mundo de cruel dureza.
Onde estás agora? No espaço etéreo
Ou na poeira orgânica de um solo funéreo?...
Oh! Dor profunda! Oh! Misteriosa natureza!

Porque arrancastes de mim o anelo supremo...
A mísera alegria... O devaneio... O extremo...
A única ilusão de uma vida angustiada?

Oh! Vida, como tu és uma ilusão treda!
Uma boca linda... Mas uma boca azeda:
Fria languidez de uma beldade amortalhada!



James Wilker. Escrito em meados de 2005/2006.

Um comentário:

keila Nunes disse...

Trágico e forte!

Muito bom!